quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Por onde andei.

Depois de ontem, as últimas semanas e talvez até meses me fizeram parecer brincadeira. Não sei como tudo isso aconteceu, apenas sinto que este golpe me tirou toda a convicção e, não sei mais dizer o que mais é irreal ou se tenha algo que realmente foi verdadeiro. Mas nada mais é certo.

Talvez eu tenha me perdido por onde eu tenha andado. Só quero sair daqui.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Mera cópia

A maioria das pessoas se deixam absorver pela personalidade das outras pelo simples fato de ser "necessidade" estar com elas, ser como elas, e enfim, "melhor" do que elas.

Isso é apenas admitir que ser você mesmo não é suficiente e declarar que isso realmente poderia o tornar pior do que qualquer um, simplesmente porque você se importa somente com o que pensam de você e com o que você quer que pensem.

Já pensou em desligar os botões de "auto-cópia" e "auto-desvalorização"?



 Isso poderia fazer algum sentido. Embora muitos passem toda a sua vida de olhos fechados. Sendo por opção ou não.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Cartas do Inferno

"Agora, uma coisa que pode surpreender você é o fato de que o Inimigo*, em sua luta por conquistar almas, Ele as mantém às vezes por mais tempo nos vales desagradáveis que nos picos gloriosos, a despeito do desagrado que isso causa nos seres humanos. E alguns de Seus favoritos especiais são exatamente os que passam por aflições mais profundas e prolongadas.

A razão é essa: Para nós, um humano é primariamente comida; nosso desejo pela absorção de suas almas para dentro de nós, o aumento de nosso próprio alcance pessoal às custas deles.

Mas a obediência que o Inimigo requer deles é uma coisa totalmente diferente. Temos que encarar a realidade de que tudo que se fala a respeito de Seu amor pelos homens e sua obra de proporcionar perfeita liberdade não é (como muitos poderiam acreditar sorridentes) mera propaganda, mas uma aterradora realidade. Ele realmente quer encher o Universo com um monte destas pequenas réplicas dEle mesmo, criaturinhas cujas vidas em uma escala miniaturizada seriam qualitativamente como Ele próprio, não porque Ele as tivesse absorvido mas porque suas vontades livres eram semelhantes à dEle. Nós queremos criar gado que finalmente nos sirva de alimento; Ele quer servos que mais tarde converterá em filhos. Nós queremos sugá-los, Ele quer premiá-los; Nos somos vazios e queremos nos encher através deles, Ele é pleno e assim transborda.

Nossa guerra visa um mundo no qual Nosso Pai Lá de Baixo tenha todos os demais seres encerrados nele mesmo; O Inimigo deseja um mundo cheio de seres unidos a Ele, mas ainda distintos e pessoais."
(Trecho de Cartas do Inferno, C. S. Lewis, Carta VIII)
 
 
* Deus.
 
As vezes de uma forma meio surpreendente a gente encontra a forma de Deus agir em nossas vidas.
 
 

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Viver no banco de reserva

Esperar por um determinado tempo que não nos pertence, na ancia de que tudo logo aconteça. Tudo ao nosso tempo. A vontade fala alto e parece que optar pela espera fará com que percamos nosso tempo e quando chegarmos no "finalmente" estaremos velhos demais...




Quantas vezes não erramos jurando que estavamos certos, ou pelo menos não apostamos alta na confiança que tínhamos em alguma certeza?



Homens de mentes brilhantes invetaram máquinas complexas, marcaram a história e revolucionaram o século, eram dotados de grande inteligência. Pare por um minuto para pensar Naquele que os criou e os dotou com tal inteligência, de um amor tão grande que deu Seu filho único por amor aos que apesar de tudo ainda permanecem olhando para seus próprios umbigos.



"Olhe para cima e veja que é Deus que te faz enteder toda a poesia" ♪

Submeter-se a vontade Dele, é abrir mão de algo que é miserável em comparação com o que Ele quer lhe dar, basta parar para realmente entender.



Afinal ninguém pediu para que parasse de viver.



I Timóteo 4:12

"Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza."



Mais que procurasse o sentido real para isso. Afinal o que você vai levar no final a não ser o nada? Ele pode lhe dar muito mais.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Amour Et Désir

Me peguei novamente neste caos
É tudo tão denso e tão leve ao mesmo tempo
Não sei explicar o desejo
É apenas desejo
Muito além da cor do teus olhos onde me perco eufórica
Um extase profundo, um carma de outro mundo
No delírio que me faz te querer
Fecho os olhos e você ainda está aí
Me induzindo a te querer mais
Só te querer

Pulsa ainda mais forte um pequeno espaço em mim
Puxa minhas rédeas com força
É tão involuntário quanto minha respiração ofegante
Desejo tudo ao mesmo tempo,
Tudo quanto a tua boca tem gosto
Sabor de um mundo inteiro pequeno demais
Para controlar a praxe e o êxtase no rubror do meu rosto
Ao se acender meus anseios mais singelos e serenos
Todos eles que entoam o meu ser
Parece lirico a poesia que formam em teu existir
Da pequena inocencia ao libido, querer.

Deveras já não vejo mais nada com nitidez
Talvez na praxe de que o mundo não o seja tão nítido

Seria capaz de passar por aquele céu
Como esfera flamejante
Devorava a minha vontade e a sua como uma só
Sentia cada simples gesto tão intensamente
Como se fosse o peso do universo e toda a sua levesa
Nossos corpos já transpiravam
Os bocas e olhares transcediam palavras inaudiveis

Toque-me, fareja-me, explore.
Sinto quente o gosto em minha boca
Arde em teus olhos
O mesmo impulso em teu corpo quente
A noite já não é tão densa de um céu tão pequeno
Busco em cada anceio teu meu desvaneio
Um único suspiro
respirações fortes e ofegantes

Livré au corps de l'autre
Eu e você apenas.

Eu & Eu.

Feriado prolongado que pega o começo da semana ao mesmo tempo que é ótimo também consegue ser um carma. Claro me diverti, abusei dos petiscos, e até confesso que foi por querer. Já tinha previsto que seria impossivel não pisar o pé fora da dieta, só não sabia que voltar seria tão exaustivo.

Aff, o pior é são as receitas disso e daquilo. Algumas são até boas, entretanto eu tenho que assumir toda a minha culpa pelos resultados nunca serem os anúnciados. Para se obter um bom resultado em qualquer coisa é preciso antes de tudo se concetrar e ter disciplina, o que nunca foi meu ponto forte.

Tento treinar todos os dias meu auto-controle e nessa ardua tarefa sempre saio na pior, aquela voz irritantezinha incrivelmente não descansa e acha que sempre tem o direito de se intrometer nos meus assuntos. Ontem pela tarde a nossa discussão foi tão absurda que só fui perceber que ela realmente havia me estressado quando uma senhora parou meia atonita e me olhou por alguns segundos. Imediatamente mandei ela calar a boca e ir ...

Maluca eu? Não.. não.. acho que realmente eu estou precisando de férias! URGÊNTE!

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Palavras. Correm soltas junto ao vento se desprendem com as folhas do outono. Apenas palavras.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Vicíos?

Okaay eu confesso!

Dicas para decifrar o manual de intruções.

A Vida:

Sobre as regras?
Sempre criei várias. Porém, hoje eu vivo com apenas uma.

Não faça regras. Basta viver.
Não viva para os outros, viva para você. É uma das coisas que aprendi.
A maioria das pessoas hoje procuram por status, e apesar de todo aquele papo conscientizado de carater e etc, ainda falam e expõe tal critério para os outros. Frases repetidas, exageros que não existem. O que adianta querer mostrar que você é algo apenas para impor isto a outra pessoa quando nesta busca por ser "melhor" (mesmo que você ache que não) você simplesmente se preocupa em mostrar aos outros uma coisa que não existe, e se esquece de que o que realmente é preciso mostrar isto a você mesmo.

Você é feliz ou simplesmente quer que os outros pensem que é?

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Sobre a vida

Nem sei muito o que dizer sobre a vida, então:  
- Senhor, obrigada por estar respirando mesmo que as vezes não queira, Amém.

A gente sempre cria fórmulas, teorias e um monte de explições que nunca são comprovados no fato pelo ato, então aquela bendita frasesinha está mesmo certa: " Quando você acha que tem todas as respostas a vida vêm e muda todas as perguntas"

Sempre me identifiquei com o outono por ser tão inconstante quanto ele..
Por isso acho que como não posso dizer:
Ah, vou ali dar uma morridinha quem sabe amanhã  eu num acordo viva de novo! 

 E já que não posso mesmo dizer isso, e nem to afiim de me enterrar em um buraco, vou dar uma voltinha, tirar umas férias, volto em duas semanas ou mais okay?

Beijos e  Abraços
Ju.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Sete pecados da Ju?

Sete Pecados Capitais:             Cinco Pecados da Ju:

Gula                                      • Luxúria


Avareza                                • Preguiça


Ira                                         •  Ira

Inveja                                    • Teimosia


Preguiça                                • Batatolatrismo

Soberba                              


Luxúria                      os outros dois é melhor não comentar. ²

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Vejo muitos patinhos!


O mundo pode ter lá suas várias filosofias.
Posso dizer que vejo muitos patinhos. Uns metidos a cisnes, outros marrecos, uns acham que sabem voar mais nunca sairam do chão.
Outros sabem voar mais se quer pensaram em cruzar o hemisfério.
-E no final vira tudo prato de ação de  graças.

Coisas inutéis

Sou mais um ser incompreensível, um número do IBGE meio invisível.
Não acordei me importando com muita coisa que me irritava ou que arrancavam as pequenas e estúpidas lágrimas que não têm sentido no final da madrugada.

Não sou a garotinha perfeita que muitos achavam, e nem a filha boazinha que a mamãe queria.
Nunca fui, talvez nunca seja. Mais o 'nunca' ainda é muita coisa pra uma vida só.

Gosto de sentir que é tão forte as diferenças que me ligam a ele.
Gosto de sentir que nos piores erros foi aonde aprendi as melhores lições. Talvez tenha aprendido muito mais sobre mim mesma do que sobre a própria vida.

Foi em uma tarde deitada sobre o teu corpo, que percebi que a vida é um pouco maior do que falta de humildade em dizer que o mundo é pequeno como se você fosse maior.

- Eu só preciso de você, de mais nada nem ninguém.
Minha mão escorregou sobre o teu corpo. E eu tive certeza do que o disse.

Sobre as coisas inúteis? Não preciso delas. 

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Maldita esperança.

Olhei para o céu e senti a mesma ventania. Brisa quente, vento de mudanças.
Tento afastar o pensamento que me veio a mente naquela tarde.

Vi dois caminhos a minha frente. Olhei para cima e pedi perdão a Deus por estar escolhendo o errado.
O erro e o peso do arrependimento por não ter ido embora conseguiram se tornar maiores do que qualquer outra dor que eu sinta, ainda sabendo que nunca poderei te procurar quando estiver mal.

Senti o carinho com que ele havia me pegado no colo se tornar raiva, deverás eu não quís acreditar que nem ao menos olhou em meus olhos e acreditou em mim quando lhe disse que não era o causador da minha dor. Sentia a vontade inútil de fazer algo para que reagisse, e a cada minuto que se passava via que não adiantaria.

Não houve princípe que me tirasse da torre.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Madrugada

Estava conversando contigo, e você nada me falou. Eu não ouvia mais o som da tua voz. Numa ansia meia atonita, frenética, abri os olhos te chamei você não me respondeu. Me contorci na madrugada vazia, tentei fechar os olhos, mas não te encontrei. Não durmi.
Eu te queria comigo, um amor meio selvagem e sensível.

"(...) Leviandade grave, vaidade séria, caos imano e informe de belas aparências, chumbo leve, fumaça luminosa, chama fria. saúde doente, sono sempre esperto, que não é nunca o que é.(...)"
Romeu ato I cena I por William Shakespeare. 

Eu só te queria. Te queria naquele sonho real, sem perceber acordei num pesadelo desolado.

Talvez hoje



Talvez hoje eu possa me levantar e fazer o que há muito tempo eu quero... talvez hoje eu volte para a cama sem querer nunca ter pensado em sair.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Contratempos

O que tem miserável ou bondoso Ser para ser tão importante em nossas vidas?

Minha cunhada, com ímpeto se tornou especial em muito pouco tempo talvez pelo fato de tão somente  o ser.
O incomum entre a gente acabou nos fazendo cometer erros simples com consequências nem tanto.

Em tão curto espaço de tempo vi dados rolarem.
Números repetidos! Mesmo e r r o.

Talvez tenhamos inconscientemente aprendido a mesma lição: Ambas não guardamos segredos de nossos namorados (fidelidade e sinceridade)... e infelizmente eles também não (provocação e zuação)!

terça-feira, 1 de junho de 2010

Onipotente

Salmos 91

1.
¶ Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.
2.
Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei.
3.
Porque ele te livrará do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa.
4.
Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel.
5.
Não terás medo do terror de noite nem da seta que voa de dia,
6.
Nem da peste que anda na escuridão, nem da mortandade que assola ao meio-dia.
7.
Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti.
8.
Somente com os teus olhos contemplarás, e verás a recompensa dos ímpios.
9.
¶ Porque tu, ó SENHOR, és o meu refúgio. No Altíssimo fizeste a tua habitação.
10.
Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda.
11.
Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.
12.
Eles te sustentarão nas suas mãos, para que não tropeces com o teu pé em pedra.
13.
Pisarás o leão e a cobra; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente.
14.
Porquanto tão encarecidamente me amou, também eu o livrarei; pô-lo-ei em retiro alto, porque conheceu o meu nome.
15.
Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia; dela o retirarei, e o glorificarei.
16.
Fartá-lo-ei com longura de dias, e lhe mostrarei a minha salvação.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Protesta?

Alguém responde pela minha paranóia? Então foda-se, sem intervenção da moral ou da censura.
Foda-se a minha razão e a sua. Hoje nada faz sentido.

Nomes

Aline Félix
Weslei Galvão
Stephannye Gonçalves dos Santos
Jéssica Lima Dias
Gustavo Henrique Cardoso
Aline Clemente dos Santos
Raquel Barbosa
Natasha da Silva Rosanato

quarta-feira, 26 de maio de 2010

"Sem ar"

A  muito custo tentei fechar os olhos depois de ter sentido palavras tão frias atravessando o meu peito. Palavras que fizeram com tão simples esforço o mundo cair sobre mim.


Senti aquela dor no peito aumentar e se tornar física, tão insuportável a cada minuto que me fazia sentir o peito apertando mais e mais, até que minha habitual falta de ar me forçou a permanecer sentada. Logo minha vista já se tornara turva e pouca coisa começava a girar ao meu redor. O frio agora era um calor que fervia do meu pé até minha nuca e fazia-me sentir as pontadas no lado esquerdo da face e cabeça.

Vi tudo se estilhaçar diante meus olhos, e não pude acreditar. A dor era tão intensa que me desesperava ainda mais. Senti como se uma faca atravessasse meu peito de uma forma que me levou a um momento levantar e procurar algo pontiagudo em que pudesse sentir algo maior e menos doloroso. Procurei algo com que pudesse me matar, mais estava sem fôlego e não cheguei nem a metade do quarto. Fracasso até para ser o sufientemente capaz de me matar.

Levantei com pouco esforço, à vontade e a necessidade de fugir de tudo e até de mim mesma era enlouquecedora.
Amarrei meu cabelo em rabo-de-cavalo, relevantemente passei lápis preto no olho, troquei meu piercing.

Não consigo nem ao menos pensar em fazer o que todos falam para eu fazer, colocar um fim nisso e ser feliz, mais ainda estou submersa demais para conseguir ser feliz sem ele. Tive vontade de pegar o celular e ligar, o que logo se converteu em raiva. Quase joguei o celular na rua e derrubei o monitor da minha mesa com um murro que só em mente desferi contra o mesmo.
Comecei escrever uma carta para uma amiga, e ao ver o que havia nela com ímpeto de raiva rasguei-a, ela não merece sofrer por mim.

Já não vejo mais motivo algum em acordar e dormir. Pensei seriamente em acabar comigo mesma. Quero fugir, quero ir embora. Sei que não conseguirei quando tudo e qualquer coisa me levam ao derradeiro fim hipócrita.


 Caio, começo a entender o que você sentiu, porém amigo confesso, jamais conseguria ter a força que você teve e seguir, eu não estou conseguindo entender aonde estou e por que ainda estou respirando, você é a pessoa mais forte que já conheci, pois eu ainda prefiro morrer a negar e arrancar o que sinto de dentro de mim.



Sinceridades Ju.


William Douglas Carvalho Tolentino. EU NÃO SEI VIVER sem VOCÊ!



terça-feira, 18 de maio de 2010

Meu inverno particular

Sinto tantas saudades embora saiba que estou invisível (invisível, meu Deus!).
O frio me envolve ternamente tanto quando é possível em seu manto de indiferença, e o caos profundo no interminavel silêncio me arrebata sem escrúpulos.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Por fim.. negativo!

Junto com uma enorme onda de alívio, vieram seguidas horas de dores.

Finalmente me tranquilizei ao ver por motivos naturais que minha suspeita era enganosa, porém as horas que se seguiram me deixaram comumente estressada. Passei a madrugada inteira me contorcendo com cólica.

Não sei explicar onde me perco em tantos pensamentos. E afinal, de tanto pensar, pensar e pensar, não estou pensando nada.
Me identifiquei com certa obra que estou lendo de Edgar Allan Poe embora a maior parte do livro me abomine. É uma estranha relação que criei com seu modo particular de filosofar com os personagens. Tenho que admitir que me identificar com uma obra em que os personagens são pela maioria criminosos doentios, estou práticamente assumindo uma fase péssima de minhas faculdades mentais.

Entretanto continuo no mesmo lugar de onde nunca consegui sair.
Pensando nele!
Chego a me assustar com a intensidade com que faço isso com uma força involuntária.
Como eu posso a cada dia amá-lo mais? Como eu posso apesar de tudo sentir que isto não se abala em nada, e que só faz se  tornar mais forte o que sinto por ele?

Pedir para tê-lo aqui neste momento é quase como querer carregar o mundo com as próprias mãos.
Mais é isso que eu quero. Sofrer por uma coisa racionalmente impossível. Já desisti de procurar a lógica nas minhas ideologias.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Segunda-feira

Ok, eu já estou cansada disto sempre que abro os olhos já estou na segunda-feira de novo.
Estou me segurando para não tamborilar os dedos sobre a mesa, nem ficar batendo o pé frenéticamente. Quase impossível. O expediente no trabalho parece que nunca chega ao fim. Confeço que estou a tarde inteira pensando na tortinha de morango, ai aquela tortinha!

To meia agitada com a idéia do médico amanhã. Sei que não posso adiar mais isso.
Ainda não está "atrasado" para mim, mas devo marcar a consulta mesmo assim. Arg, que raiva!

Tortinha como eu te quero! Deve ser a fome reduzindo os neurônios, só pode!
É tudo o que se passa por mim: tortinha, médico, tortinha, médico, Ele, Ele, Ele ... Tortinha!

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Mudar.

Um cartão de memória você pode formatar, uma vida inteira não. Mudar é possível quando você sabe que nada do que você fizer ou disser fará alguma diferença? Sentimento de fracasso.
Tentei mudar o mundo do dia para a noite sozinha. Percebi que é impossível.
Cega, surda e muda, este é o começo. A dor e a exaustão é a sequência. A paciência e a neutralidade ou a dor e a morte, são possíveis fins. 
Em tudo isso, permaneço aqui.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Uma imagem


 ...diz mais do que mil palavras...E talvez ainda seja muito pouco para dizer que o amo...  {}






Negativo ou positivo?

 
   A cada passo que dou encontro uma nova pedra por este caminho. Minhas escolhas sempre são tão certas quanto erradas.

   
    Grávida? Eu? Sim, foi este o meu balde de água fria quando finalmente percebi que preocupações anteriores não significavam nada!
    Esperava ser puro nervosismo e coisa da minha cabeça (e ainda espero). Mas não tive como evitar que esta dúvida me atormentasse acabando não só com a minha semana, mas com a dele junto. Eu não posso fazer mais nada a esta  altura da minha vida, e o fato de ter que esperar me deixa sem ação.

    Não é exagero de minha parte falar que um teste positivo é quase impossível, mas é loucura dizer que não é isso que mais me perturba e seria a maior mentira da minha vida dizer que nem penso nisso.
     Ele se prontificou a ficar ao meu lado e me apoiar em qualquer decisão minha, porém o sentimento de culpa ainda me rodeia, e eu ainda tenho em mente que não deveria ter contado a ele sobre minha suspeita, mesmo isso sendo totalmente contra uns dos meus maiores princípios e sabendo que ele não gostaria se eu tivesse mesmo escondido isto.

    Eu sei que foi muito maior o medo e o impacto para ele do que para mim.

    Sinceramente estou tentando enfrentar tudo isso sorrindo, estou tentando ser forte. Mas não sei se consigo resistir a mim mesma, resistir às pequenas coisas que o silêncio sussurra em meu ouvido. Não sei se consigo sobreviver aos medos que tomam as bases das minhas filosofias irracionais.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Perdida aqui ou ali - ideologia de uma manhã.


    Hoje acordei com os sentidos voando alheios e meio incompletos. Segunda- feira... Quantas segundas na minha vida? Agradeço a Deus por mais uma, e tomara que ainda ajam muitas. Mesmo se for um saco. Fazer o quê?

    Tem muitas coisas perdidas em meus pensamentos.  Sinto-me como uma viajante. Nada levo comigo a não ser uma pequena bagagem de muitos sentimentos. Outros não são nem sentimentos, são apenas pequenas imagens. Mas que de alguma forma representam algo pra mim.

    Acordei pensando em confiança. A cada dia que passa se reduzem mais as pessoas em quem eu confio, e acho que ao final restarão apenas três: Deus, minha mãe e meu namorado. Evitarei falar sobre os dois motivos que me levaram a pensar deste modo.
    Hoje o velhinho que estava no ponto embora fosse um excelente fofoqueiro era muito simpático. Tomou-me um pouco de mim mesma, poupando-me das minhas filosofias particulares enlouquecedoras.

    Assim que cheguei ao trabalho pela manhã vi uma colega chorando. Não teve como eu passar e nem ao menos “emprestar meu ombro”. O motivo? Fim de namoro à dois dias do aniversário de dois anos. Confesso que não quis dar conselho nenhum a ela, afinal eternamente estarei aprendendo, prontifiquei-me apenas a estar ao lado dela, e dar as palavras que a vida me escreveu custando-me também algumas lágrimas.

    Foi meio difícil para mim vê-la chorando porque sei o que ela estava e está sentindo. E o medo que estava no fundo da minha pequena mala de viagem submergiu lá do fundo, e veio importunando todas as outras lembranças e imagens que estavam me rodeando como satélite. Será que um dia isso poderia acontecer com a gente? Medo de te perder... Foi isso que minha mãe disse a ele ontem. Eu e minha mãe nunca fomos tão ligadas, mas ela sabe o quão importante ele é para mim.
    De imediato me deu aquela "pequena grande vontade" de correr e ligar pra ele. Não fiz isso, embora o medo e a saudade de menos de 24hs já estivessem me corrompendo. Pedir pra ele ficar comigo até a eternidade, pedir pra ele dizer que me ama, e me abraçar, seria impossível. Mesmo sendo apenas isso para me acalmar.

    Não estou nem quero continuar a pensar em nada.
    Essas pequenas imagens e lembranças que me rodeiam são de um calor e afeto que me amortece do medo de não o ter um dia.
    Ainda vejo o olhar dele naquela noite. O jeito como tudo saiu dos planos. O jeito como tudo tão naturalmente foi perfeito. Os gestos, carinhos e lampejos de medo.
    Vejo ainda a cor do pôr-do-sol no rosto dele, no final de um dia tão tumultuado. Agradeci por ele estar ao meu lado. Entristeci com o silêncio e a quietude dele no começo de outra noite.

    Fico pensando no decorrer dos anos, como serão?
    Me nego a continuar com pensamentos suicidas.
    Continuo aqui nesta pequena estradinha de pensamentos coloridos, monocromáticos, em sépia, pequenos, grandes, redondos, quadrados. Sozinha?




segunda-feira, 26 de abril de 2010

Mundinho pequeno

Mundinho pequeno sakas?

    Hoje é segunda eu estou quase morrendo no serviço. Tarde chata, rasoavelmente quente. Escola a noite. Que vontade de sair correndo!
    Ontem fui levar meu namorado até o ponto de ônibus. Por motivos que me nego a confessar, o casal que estava no ponto acabou com a minha graça. E se fosse só isso tudo bem... mais não, não era só isso.
    Ele tinha me falado que o menino que estava no ponto era um colega aqui do hospital, ele estava com a namorada, eu percebi. Até ai sem problemas.

    Até que quando eles subiram no ônibus eu vi que a namorada dele ficou. Pensei de imediato comigo, nossa ele ta com uma garota aqui da vila. O foda foi que quando eu vi quem era, meu queixo quase despencou.
    Puutz é com ELA que ele está namorando??!

    O mundo realmente dá muitas voltas. Nunca gostei de ficar julgando ninguém, mais tenho MUITOS motivos para dizer que quero que ela mantenha distância. Me nego a falar muita coisa sobre o carater da adorável namorada do meu colega de serviço. Afinal se por ventura ele ler especialmente esta postagem do meu blog, não quero colocar vírgulas no relacionamento de ninguém.
    Mas foi incrível eu ter ignorado ela, e ela nem ao menos ter se tocado que eu fingi que não escutei ela falando comigo. Engraçado que mesmo assim ela continuou falando e eu num tive como fingir que não era comigo. Foda foi outro dia eu ter adicionado ela no orkut e nem ter parado pra imaginar que era ELA! Ela ainda foi sínica o suficiente para me dizer ao descer a rua um caloroso "tchau Ju".. afz' man olha.. nem digo nada.

    Incrívelmente estou percebendo uma corrente elétrica enorme em uma competição quase mortal. Do que eu estou falando? Pode me chamar de maluca.. como se eu não estivesse acostumada horas..!
    Por incrível que pareça todas minhas queridissímas inimigas estão namorando. E com isso estou percebendo a faro longe que estão numa competição muito idiota. Hora ou outra tem uma infeliz que fica visitando meu orkut, o que já irrita o suficiente né? Tenho que admitir..
    Porém todo mundo tem algo do namorado e coisa e tal, mais acho que isso tudo já passou do limite. Agora me diga por que você acha que eu estou com meu namorado? EU AMO ELE. É a única verdade que tenho a dizer. Entretanto, minhas queridas inimigas parecem que a cada dia tentam postar uma coisa que chame mais atenção ao fato de que estão namorando. Às vezes eu me pergunto.. tudo isso é pra mostar que AMA ou pra mostrar um STATUS de relacionamento? Não sei...
    Mais não creio no tamanho amor de nenhuma delas por seus namorados, pois essa competiçãozinha nega tudo. Uma delas está namorando a 5 meses.. De tanto eu te amo, não acho que ela saiba o sentido desta frase.
    No começo lembro que a gente postava mais coisas um pro outro, trocavamos os status. Tenho que confessar que até sinto falta, mais nunca, jamais eu hipervalorizaria mostrar a inimigos uma perfeição irreal, ao invés de mostrar para aquela pessoa tudo o que ela é a você. Tudo o que aprendi nunca teve um sentido mais sólido para mim. E no final o que vale realmente?

Eu quero que todas vão pro inferno!
Minha vida, eu que vivo. Estou bem longe de competições. Estou na minha realidade dando importância a coisas que realmente têm sentido.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Casa de espelhos


    E quando eu acho que finalmente acabou, vejo tragicamente que estou no mesmo lugar, de frente para tantos espelhos que nem consigo imaginar como tantas dores ampliadas e repetidas podem ser reais. E na ansiedade desesperada de me livrar de pelo menos uma, acabo cedendo ao impulso de escrever, como se pudesse colocar tudo pra fora. Sabendo que só há uma forma de sair deste maldito lugar escuro e vazio que me fecha em lágrimas.
    Meu coração se fecha num vazio tão profundo que chega a doer. A dor que sinto é real. Se não é tão real quanto eu sinto o corte dentro do peito, então me convenço de que é a dor mais forte que já senti. Um corte ou uma ferida é uma dor que geralmente passa, ou se não passa ela acaba com você e te livra logo de tudo o que sente e mesmo aquelas que são físicas e se demoram no corpo a dor ainda é capaz de ser menor.
    Dói tanto como eu nunca havia sentido. Tenho andado muda pelos caminhos rotineiros. Já não consigo prestar atenção em nada ao meu redor, tudo passa despercebido pelos meus olhos e pelos meus ouvidos. E no silêncio enlouquecedor eu ouço a mesma voz que berra ao silêncio, e é dela que tenho medo, um medo absurdo. Não sei explicar onde estou agora a não ser que me perco em cada letra, e já escolho as que não me fazem sentido algum.
    A cada passo que dou, tenho medo de onde me levará o próximo, o mesmo silêncio me enlouquece. Cada pessoa que passa por mim é apenas uma imagem do absurdo retrato que me mata indiferente com suas cores vivas. Sinto que cada uma de suas cores primarias conseguem gota a gota me deixarem em estado monocromático, tiram-me o vermelho sangue vivo, o verde reluzente de esperança, o azul solidário da minha tranqüilidade e tantas porcarias a mais que vão se desenhando inanimadamente ao meu redor.
    Passo com tanto desgosto pelas sombras que ficam atrás do caminho que sigo por hábito e cada olhar que me segue não faz mais diferença alguma. O vazio. Ele me enlouquece, este vazio que reluz ao longe, mas que está mais perto do que eu possa ver e mais em mim do que eu possa com todas as forças sentir.
    Vejo que realmente por mais que as pessoas permaneçam ao meu lado, nenhuma delas realmente se importam como me sinto, e às vezes nem eu mesma me importo com o estado que me encontro. Ainda vejo lá ao longe os olhares solidários que se dirigem a mim, são poucos e raros os que realmente querem me tirar deste vazio que se fecha em mim mesma. Fico quase desesperada ao ver que toda felicidade é temporária e por mais que eu sorria e brinque, faltará sempre algo ao final do meu dia. (Ele!)
    Olho ao meu redor, cada detalhe é muito comum, cada pequeno detalhe é muito familiar. O pequeno porta-caneta á esquerda, o scanner à direita, a minha nova frota de barquinhos de papel da última sexta-feira, a caneta que sempre some pela manhã, e os mesmos rostos que se desprendem em seus próprios cubículos de uma rotina. É tudo tão indiferente do que eu sinto.
    Não consigo acreditar que estou aqui de novo no mesmo lugar. Não quero acreditar!
    Dói tanto. Será que alguém me vê? Será que alguém enxerga que estou aqui tão sozinha? Fico desesperada tentando calar o silêncio que grita ao meu ouvido. Tento de alguma forma fugir dele. E com palavras impensadas me coloco no mesmo lugar.
    Quantas vezes mais vou sentir a mesma dor?
Estou no mesmo lugar, chorando no mesmo vazio. Estou esperando por algo que não tenho idéia do que seja. Só não me negue por favor o teu abraço, seja no silêncio e no cansaço, o único lugar onde me refaço.
 


segunda-feira, 19 de abril de 2010

Tudo normal

    Será que posso dizer que tudo voltou ao normal?

    Queria poder dizer que os inumeros sentimentos que me causaram algum dano pudessem ser fases da adolescência. Queria eu poder culpar algo por minha vida às vezes sair totalmente do rumo em que eu via ela seguindo tranquilamente.
    A única culpada pelos fatos talvez seja eu mesma. Será que era preciso sofrer e fazer sofrer tanto? Olhei para o céu e perguntei a Deus com qual intuito eu teria que estar passando por tudo aquilo ao mesmo tempo. Não ousei questionar o teu silêncio sobre as minha lágrimas. Não ousei perguntar por onde Ele esteve quando eu me contorcia nas minhas mágoas. Sempre soube que enquanto eu sofria, Deus estava em um só lugar, e nunca saiu dali: Ao meu lado, cuidando de mim, mesmo quando eu muito egoísta não pude perceber isso.

    Descobri que sempre vou errar, e sempre vou estar disposta a aprender. Olhei para a pessoa que mais ocupa meus pensamentos e vi que ele, assim como eu, ele é humano, e talvez também erre comigo, mais todos os erros são coisas tolas ao se comparar com o tamanho amor que tenho fielmente por ele. O único homem que amo e irei amar.

    Achei que finalmente teria as minhas "férias", pelo menos um tempo sem que nada de ruim pudesse me tomar de novo as lágrimas frias que descem ao peito. Me enganei, e mais uma vez vi tudo acontecer diante dos meus olhos, tudo de novo de um jeito que eu não queria. Comecei a ficar mal, minha vista já estava turva, eu via tudo o que minha mente me obrigava a ver e tudo o que já havia acontecido sem que eu evitasse, um redemoinho, um dejavu. Eu podia ter evitado!
    Depois que vi a ferida aberta não pude me conter, e o pior foi ver que eu havia abrido uma outra ferida.
Será que faz parte da vida só descobrir que é com os erros que a gente aprende?
Eu sempre amei minha mãe mesmo nunca tendo dito. Mas sabe como é dificil ter que concordar e admitir que sua mãe está certa?
    Ontem ela estava lá. Estava lá para me dizer que eu estava errada, mas estava para me ajudar acima dos meus próprios erros. A primeira vez que senti que precisava dela, que precisa da ajuda dela. Ajoelhei diante dela e deitei minha cabeça sobre a cama, já não conseguia me concentrar em nada, não conseguia falar nada. Ela me perguntou o que havia acontecido, com esforço eu disse, ela consentiu. Estava já chorando e não conseguia respirar direito, eu implorei a ela que me deixasse ir até ele. Mesmo que ele não quisesse falar comigo eu precisa pedir perdão. A primeira vez que ela não se opos, deixou-me ir. Não sabia se o pesadelo acabaria, meu pai não me permitiu sair e atravssar praticamente a cidade aquela hora. Me senti acorrentada, sem saída. Fui para o quarto, me joguei na cama. Pedi para que o sono me levasse, mesmo sabendo que por um bom tempo eu não teria motivo algum para querer acordar, e talvez nunca mais tivesse. Minha mãe pediu para eu deixar ela fazer alguma coisa, eu disse que não ia adiantar. Ela voltou e disse que ele viria. Ela ligou pra ele, achei que mesmo ele dizendo que sim eu não o veria. Revirei-me na cama, mas nada me fazia sentido. Fui para fora, levei meu leçol e lá fiquei olhando o vazio e me afastando cada vez mais de tudo a cada minuto que passava e me dava mais certeza que ele não viria. Fiquei lá por um bom tempo.
    Estava disposta a esperar até a madrugada, e mesmo que ele não viesse, eu esperaria por algo que me tirasse dali. Ele veio. Estava sentada no mesmo lugar quando o vi se aproximar. Durante uns dois minutos eu não conseguia distinguir o que era real e o que não era, ele me parecia um sonho. Eu despertei do meu pesadelo frio e inseguro, e passei a me esconder naquele sonho, me firmei nele, não queria acordar. Quando vi qual era a minha realidade, não segurei e deixei novamente as lágrimas desandarem sobre minha face sem controle algum. Demorei um bom tempo, mas me acalmei. Me acalmei ao ver que despertando para minha realidade, vi que ele fazia parte dela, me acalmei por ver que a mão que apanhava minhas lágrimas era a dele, por perceber que era em seu colo que eu estava e era o calor dele que me abrigava.
    Foi bom sentir ele de volta, me envolvendo e protegendo. Mas brevemente olhei ao céu e pedi a Deus que não mais fossem cometidos os mesmos erros, eu não queria mais ver o meu erro causando as mesmas marcas.

    Não posso dizer com toda a certeza que tudo voltou ao normal. Afinal o que  é normal? Mais quero dizer que quero ainda continuar na mesma paz, sem pensar em nada muito distante do ponto zero do tempo. Eu ainda sei que erro, que choro, que brinco que SONHO! Só quero diminuir o que se foi e aumentar o que há.
    Pois eu sei que ainda estou aqui.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Certo e Errado?


 


    Até quando, o pequeno hábitozinho vai ser sustentável, até quando pequenas quantidades vai te satisfazer, até quando as pessoas que ficam ao seu redor serão mais importantes para você do que o vício, até quando seu organismo vai ser forte o suficiente para manter essa tal juventude, até quando as pessoas que gostam de você conseguirão resistir ao seu lado.. Até quando?

Só me diga você prefere colocar um ponto final nos pequenos hábitos ou prefere que eles coloquem um ponto final em você?  

A pergunta é simples. A consequência de suas decisões não.









terça-feira, 13 de abril de 2010

Ilustre visitinha - Dona M.

Ok, tem certas coisas que tem limite de idade. Exemplo? Bem, a mesma coisa que você ser menor de idade e não poder fazer algumas coisas, tem coisas que os maiores de idade (bem maiores como minha mãe que tem autoridade o suficiente para me mandar para lua mesmo sendo mais baixinha do que eu. Oh baixinha nervosa) também não podem saber.

Está bem, direto ao assunto. Nada do que está escrito neste blog seria algum mistério de outro mundo ou segredo de estado, mas contando com o total desinteresse que minha mãe tem pela "nova era da comunicação" (que exagero), postei coisas que faria ela ter um pequeno ataquezinho do coração, e sinceramente acabaria com a minha taxa de boa menina na família (fazer o que?!). Mas de todas as pessoas que eu imaginaria um dia encontrar meu segundo blog, não achei que a mãe do meu namorado seria uma delas!

Bem, sinceramente eu sempre me preocupei com o que a mãe das minhas amigas achassem de mim, e por sorte a minha nenhuma até agora me reprovou em nenhuma hipotese. (Educação também faz parte!). Mas sempre fiquei aflita com os motivos para minha sogra não gostar muito de mim, sabe como é dificil tentar respeitar territórios para manter a paz? Nunca tive nada contra, mas sabe aquela preocupação para não criar motivos para realmente ela não gostar MESMO de você? Ok, talvez eu que seja paranoica, mais olhar reprovador de mãe já é complicado, agora olhar reprovador de sogra, é o fim.

Nem acreditei que ela leu mesmo uma das piores postagens.

Sinceramente, eu nunca fui santa, e nunca pedi a ninguém que acreditasse que eu fosse. Mas educação para mim sempre foi um pouco mais do que obrigação. O simples fato de eu ter ido na casa da vó dele sem avisar já me deixou sentindo-me com um enorme alvo vermelho (daqueles que atraem bem mais que touros nervosos. Acho que mais para bombas nucleares. Tá legal, é exagero mais assim que me senti!). Agora só pense como eu me senti, a minha sogra, mãe do meu namorado, a pessoa com quem tento o máximo possível dar menos trabalho do que eu dou para minha mãe, leu em meu blog coisas que nem sonhei que ela leria. (Senti aquele alvo se transformar em um balde de tinta vermelha sobre minha cabeça). Puutz... essa num deu, esotu com a cara na mão.

Olha Dona M. desculpinha por ter que ler uma parte do que a infeliz da sua nora aprontava. Beijo! (Será que ela percebeu que eu to com esse alvo enorme e vermelho? =)

segunda-feira, 12 de abril de 2010

O estandarte de meu outono


Estou aqui no mesmo lugar
Perdida em um breu profundo
Tentando rascunhar palavras
Sobre minha vida, meu mundo (lástima!)

E estou aqui no mesmo lugar
Sabendo que não há palavras certas
Que possam traduzir o frio do luar
Nem decisões por loucuras incertas

Ando ao meio fio da madrugada
Nem a paz nem o sono ousam me acompanhar
As lágrimas correm geladas
Formando um rio no mesmo lugar, no mesmo lugar

Suas águas são densas e lúgubres
Vejo nelas o rosto distorcido que se reflete
Não vejo nada menos fúnebre
No rosto da menina que desfalece

Onde estão todas as cores?
Onde se perderam todas as brincadeiras?
Queria ter o dom de escrever amores
Ao invés de tornar sonhos paredes sem eira nem beira

Estou de novo no mesmo lugar
Querendo evitar o mesmo fim
Pedindo uma promessa em teu olhar
Embriagando-me na ilusão a esquecer de mim

Palavras que ecoam no vazio da mente
Sonidos intensos aos palpites do coração
Gritam por absurdos indiferentes
As batidas leves e surradas de outrora paixão

Tudo agora se confunde na vista turva
Não é belo ver tudo passando lentamente
Assistir a slides de fotografias escuras
E algemas frias parecendo às únicas coisas benevolentes

O coração acelera em seus últimos espasmos
O sol da noite se aproxima quando tudo parece girar
Se entregar ao medo e ao fim sistemático
Ou ainda ter a esperança de despertar?

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Coisas que a gente aprende na vida

WDCT te amo!

Tudo mudou. Porém ainda estamos aqui.
Acharam que a gente não passaria de uma brincadeira.
Mas ainda estamos aqui!
Fomos julgados por bobeira.
Mas fomos fortes a tudo. Hoje eu digo que a tudo resisti
E olha ainda estamos aqui! (...)


Amor, eu guardo com carinho ainda a primeira música, lembro com desgosto a primeira lágrima. Reconforto-me com o calor do teu abraço, e choro no vazio e no cansaço. Lamento erros meus e seus, sem nunca deixar de perdoar e pedir para receber teu perdão, com a alternativa de sempre poder recomeçar. O mundo deu voltas, e tudo mudou. Não mudou para melhor, não mudou para pior. Fomos julgados pelos olhos de todos. Aqueles que desacreditaram da gente e dúvidaram desse tal amor. Houve aqueles que nos deram forças, e aqueles que torceram pelo nosso fim. Fomos julgados, porém chegamos muito mais além do que a maioria se quer sonhou em chegar. Não foi fácil para ambos. E as marcas que foram feitas ficarão ainda por nós, mas nada que não seja impulso para seguir em frente. O que vem de graça vai de graça, e o preço a ser pago é justo, a recompensa mais ainda.Tudo o que nos aconteceu, bom ou ruim, só me fez crescer e aprender segredos simples e importantes. Sofremos, rimos, choramos, brincamos. Encontramos sentimentos, descobrimos medos.
E nisso tudo descobri que verdadeiramente T E A M O. Pode tudo acontecer. Já tentei esquecer. Foi impossível. Impossível esquecer uma parte de mim!
Fomos julgados, desacreditados.
Fomos amantes, amigos, namorados, irmãos, e até completos desconhecidos perante nossas próprias faces. Mesmo quando foi preciso nos conhecermos de novo, superamos todos os obstáculos, e ainda estamos aqui... Juntos!


quinta-feira, 8 de abril de 2010

Por que contar a alguém sobre meu segundo blog?

Princípios:

* Eu decidi a muito tempo parar de escrever no primeiro blog que eu fiz. (Pelo amor de Deus não me peça o endereço do antigo por que nem se eu o lembrasse daria a mais alguém.)

* Criei o segundo por um impulsso de escrever o que todos sentem, mas nunca revelam. Era um segredo? Não, não era... Mais nunca precisei colocar uma melância para querer que alguém me notasse. (Daí o motivo de eu não ter revelado a ninguém sobre a criação do segundo.)

Então por que contei?

Precisava mostrar ao mundo o quanto amo meu namorado. Pedir desculpas por todos os erros que já cometi, não basta. E por isso revelar a existência do meu segundo blog, é ainda um preço muito baixo a se pagar pelo amor da pessoa que mais amo neste mundo.

Testemunhem como quiserem as outras postagens que fiz no mesmo blog a ele ("Para o meu namorado", " Dez minutos apenas isso"). Como prova do quanto amo este garoto.

Sem mais até o presente momento.

"Homenagem a um grande amigo"

Faço esta homenagem a meu amigo. Caio é uma honra postar esta poesia sua..

Depoimento de minha vida.

Ultimamente tem sido difícil chegar...
Tenho estado por muito tempo só...
Todo mundo tem um mundo privado...
Onde eles podem estar sós...
Você está me chamando?
Você está tentando superar?
Você está procurando por mim?
Eu estou procurando por você...

Estou simplesmente deprimido pra caralho
Pareço não conseguir sair desse marasmo
Se eu pudesse superar esse obstáculo
Mas preciso de algo pra me empurrar pra fora desse lixo
Tive minhas equimoses, tive meus caroços
Caí e em seguida me levantei
Mas eu preciso dessa "faísca" pra colocar o psicólogo em ordem pra pegar o microfone
Não sei como ou porquê ou quando
Acabei nessa posição que estou
Estou começando a sentir distante novamente
Então decidi pegar a caneta e dar uma tentativa
Mas eu não consigo admitir ou agarrar com firmeza
Ao fato de que eu talvez esteja acabado para o amor
Preciso de outra alternativa
E eu sei que é algo difícil de engolir
Mas não posso sentar e nadar na minha própria tristeza
Mas sei uma coisa, serei algo difícil de seguir
Algo difícil de seguir, eu serei algo difícil de seguir
Vivo hoje, morto amanhã
Mas você terá que caminhar milhares de milhas

Em meus pés, só pra ver como é ser como eu
Serei você, vamos trocar os sapatos
Apenas pra ver como será sentir sua dor
Você sente a minha, entrar na mente um do outro
Apenas pra ver o que acharemos e olhar merda entre nossos olhos
Mas não deixe que digam que você não é linda
Eles podem todos ficarem fodidos, basta que seja verdadeira consigo
Mas não deixe que digam que você não é linda
Eles podem todos ficarem fodidos, basta que seja verdadeira consigo

Acho que estou começando a perder o senso de humor
Tudo está tão tenso e escuro
Quase sinto que preciso checar a temperatura do quarto logo que entro
É como se todos olhassem pra mim
Então eu tento evitar contato com os olhos
Porque seu eu fizer isso "abrirá portas" para a conversação
Como se eu quisesse isso
Não estou procurando atenção extra
Simplesmente quero ser como você
Misturar com o resto do quarto
Talvez só me indicar onde é o mais próximo quarto de descanso
Não preciso de nenhum criado tentando me seguir
Onde vou e limpar meu traseiro e rir a cada piada que falo
Quando metade delas nem são engraçadas como:
"Ah Marshall, você é tão engraçado cara, você devia ser um comediante, caralho!"
Infelizmente eu sou
Eu me escondo atrás das lágrimas de um palhaço
Então por que vocês sentam e ouvem a narrativa que estou pra contar?

Ninguém pediu pra vida nos tratar
Do que as merdas dessas não se tratam?
Temos que pegar essas cartas por nós mesmos e usá-las, não espere ajuda
Agora eu poderia simplesmente sentar, falar e lastimar
Ou aceitar a situação que me encontro
Me levantar e correr atrás
Nunca fui o tipo de garoto de esperar à porta e pegar suas malas
Ou sentar na varanda e esperar e orar, rogar
Pra um pai que nunca veio, aparecer
Eu só queria me acostumar em cada lugar, cada escola que fui
Sonhei sendo aquele garoto legal

Por: Caio Fábio Ferreira de Souza.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Stephannye Gonçalves dos Santos

Quem é ela?

Sim, acho que deve ser isso que você está se perguntando. Posso dizer que a essa altura da minha vida estou me perguntando a mesma coisa. Eu a conhecia, mais hoje, quem é ela?
Eu nasci e morei em São Paulo, capital até meus 11 anos de idade. Ela era minha melhor amiga desde quando eu tinha 8 anos.

Lembro-me vagamente do dia da mudança. Estava fazendo sol, céu aberto, com certeza era um dia incomum. Era muito difícil o tempo estar limpo daquela forma em São Paulo. Tenho lembranças remotas das paradas na estrada. Em uma delas uma mulher tentou nos denunciar a sociedade protetora dos animais, e até ela entender que a gente estava de mudança e não tinha aonde levar o "Bobby" (meu vira-latas muito chorão) a não ser na traseira do caminhão e que ele estava chorando porque era escandaloso mesmo, a gente acabou tendo um pouco de trabalho.

Poderia falar de muitas coisas que aconteceram na estrada naquele dia, mais a única que recordo vivamente (fora o relógio que havia derretido no carro) era de ter-me despedido de tudo o que estava ficando para trás com a estrada. Eu não sabia que nunca mais iria falar com ela.

Por que resolvi falar nisso depois de seis anos?

Estava procurando um número na lista telefônica e resolvi procurar pelos números que estavam nos nomes do pai e da mãe dela, ou as pessoas que possivelmente teriam os mesmo nomes.
Encontrei cinco... Não eram nenhum dos quatros, a cada toque que o telefone chamava me dava uma esperança. E cada vez que ninguém a conhecia, eu ficava frustada.
Liguei para os quatros primeiros, que no fim não eram da casa dela. Chegando ao último desisti, achei que seria besteira tentar, logo aquele também não seria.

Mais agora fico pensando, será que logo aquele número que eu não tentei seria o dela?

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Garotas. Melhores amigas? - Os segredos.

Uma garota sempre tem vários tipos de amigas.

Aquela que sempre te liga quando briga com o namorado. Aquela que diz que é sua amiga mas se morde de inveja. Aquela que nunca cala a boca. A que só tem cara de santinha. Aquela que você conta tudo...

Eu tenho um relicário de prata, em formato de coração, trabalhado no exterior e que possuí em cada um dos lados de seu interior uma foto minha e outra do meu namorado (Está na foto do perfil blog). E por muita conhecidência, quase um mês depois minha amiguinha resolveu comprar um também, dourado com strass na frente!

Mulheres ao mesmo tempo em que são amigas podem se tornar tão íntimas quanto o batman e o coringa. A maioria das suas piores inimigas são aquelas que já foram suas melhores amigas! Perceba!

Tente se colocar em meu lugar: conheci uma das minhas melhores amigas 7 ª série. A gente passou a andar juntas por causa de garotos (é normal, me diga que você nunca virou amiga de alguma menina devido a motivos maiores de cumplicidade por causa de ficantes!). Ela havia começado a gostar de um garoto da 8ª. Estava tudo combinado para eles ficarem. Aí estava o problema: ela estava com vergonha de ficar sozinha com ele e sobrou pra amiga aqui ficar com o amigo dele.
Passamos a conversar desde então. Carne e unha. A gente estava junta pra qualquer encrenca amorosa.

Esse sempre foi o problema, era só encrenca amorosa que a gente se metia. Ela se apaixonava muito fácil.
Pra mim perder a virgindade tinha que ser com alguém que eu amasse. Para ela iria ser com 15 anos. E foi assim que aconteceu. Como ela sempre se apaixonava pela maioria dos caras que ela ficava, ela acabou tendo a primeira relação com um cara que gostava. Pena ser com um cara de 25 anos, que já tinha uma filha, "morava junto" com uma mulher que era "amiga" dela, técnicamente casado desconsiderando a total falta de fidelidade entre os dois, e na primeira vez que eles ficaram ele colocou a mão dela digamos gentilmente, no orgão sexual dele (rsrs.. nessa eu me superei. Calma gente só to tentando não ser rude).

Eu sempre dei valor as pessoas que eu amava, e tinha minhas definições do que realmente era importante para mim. E um dia esse "amor" que ela tinha pelos caras que ela ficava me fez tomar uma decisão que tomei para o resto da vida. Me fez escolher entre ela e o meu ego (não me arrependo).
Eu fiz a maior burrada que eu poderia ter feito naquele ano... Ficar com um idiota completamente fora do meu conceito.
Sabe aquele garoto que dança, faz academia e que a maioria das garotas é afim? Nunca achei ele bonito, mais acabei ficando com ele ( a maioria destes caras são tipo coca-cola, você vai pela embalagem e quando vai ver só agita, e não faz porcaria nenhuma).
Eu sou percebi que ele era daqueles catador do tipo que só querem sexo e fim de papo depois de da gente ter terminado em duas semanas sem eu ter deixado rolar nada.

Ah, você deve estar adivinhando onde ficava minha amiguinha nesta hitória né? Deve ter acertado. A gente tinha umas brincadeiras um tanto quanto polêmicas, ficavamos sentadas umas no colo das outras, nunca chegamos a trocar nem selinhos, embora chegavamos perto com tanta intimidade que tinha pessoas que acreditavam que éramos lésbicas. Tempos de farra e coisas proibidas... um dia depois da escola fomos pra casa de uma amiga e começamos a brincar com muita sacanagem. Estavamos em 5 garotas, revesamos posições, arranhões... e a tarde foi longa.

Sempre que a gente brincava dessa forma, ela sempre olhava para ele para ver se ele estava repando (não pense que a gente estrapolava na sala de aula com todo mundo olhando!), um meio indireto de provocação. Uns dois dias depois que terminamos, fiquei sabendo que ele estava afim de ficar com ela e pediu ajuda para uma outra amiga minha pelo msn. O pior foi saber que ela iria combinar com ele sem que eu soubesse. Isso porque era minha melhor amiga!
Feito uma vez que eu já sabia que ela iria fazer isso, a gente discutiu. Ela estava disposta a não ficar mais com ele, eu não quís mais nenhuma solução.
Toda a consideração que eu tinha por ela havia acabado! Ela me disse que gostava dele desde o primeiro dia que ele entrou na nossa sala, mas quando ela foi me falar eu já tinha aceitado ficar com ele. Isso pra mim não foi o suficiente, eu também havia gostado de um garoto que ela havia ficado, mais como éramos amigas, eu optei pela nossa amizade. Ela não fez o mesmo.
Ela voltou a andar com a mesma víbora que era amiga dela antigamente.
Depois disso ela passou a me provocar. Sempre comentava sobre ele perto de mim. Sempre achei infantil da parte dela, eu não me importava que ela ficasse com ele, pois eu nunca gostei dele, mas nunca mais eu iria aceitar a amizade dela de volta!

O lance deles não creio que tenha passado de um mês e meio. Como eu disse ela se apaixonava muito fácil, nunca teve valor. E na primeira semana eles já haviam transado. As vezes eu ria disso, ela me provocava, falava dele perto de mim. A única coisa que eu sentia era dó. Ela queria mostrar que ela estava com ele e não eu, embora ele nem se quer pegava na mão dela, não ficava com ela na escola a não ser se tivesse pouca gente vendo, na hora da saída nem se despedia. Se queria alguém pra transar lá estava ela.

Queria que não tivesse sido dessa forma para nós. Ou melhor queria que tivesse sido assim mesmo. Já se fazem 2 anos e meio que a gente não se fala. Logo depois que isso aconteceu eu resolvi mudar de escola e começar a trabalhar. Foi o momento ideal para mim, eu percebi que realmente são poucas pessoas que estão ao nosso lado.

Eu cresci muito com isso. Passei a dar mais valor nas pessoas que me amam, deixer de ser egoísta, dei mais valor a mim mesma, e conheci pessoas incríveis (e as miseráveis também)...

De fato a gente aprende até o final da vida.

Você traíria seu(sua) melhor amigo(a) por uma paixão?

Muitas coisas a gente não conta por nada... eu também tenho algumas coisas que não revelo nem em pensamento, mas é só saber ler nas entrelinhas... Você consegue descobrir? Se consegui ler esta frase sem ter sido acidente, comente e quem sabe eu te conte um segredo não postado. Bjs! Ju .

OK, já chega!

Ok, ok... Tudo bem tudo cansa, e cansamos até de cansar!

E chegou a minha vez...
Porém hoje eu não estou nem um pouco afim de fazer uma redação sobre os problemas da sociedade, nem dos desastres meteorológicos (afinal a porcaria dos desastres, nem foi tão desastre foi mais consequência!)...

Chega uma hora que você cansa de algo (talvez só para mim) . Já se cansou de tudo mesmo? Corringindo de quase tudo, então, uma em um milhão as espertinhas de plantão que me conhecem, esqueçam eu ainda não cansei do meu namorado!

Simplesmente cansei de procurar defeitos na vida, os problemas vêm atrás da gente sem esforço algum, então pra que procurar mais?
Eu quero mais é ser feliz.

Afinal você pode até contrariar o meu fundamento, mais você realmente é o que você reflete. Então é melhor sorrir, porque bico no flash pega bem só se for de próposito, flagar bico de mau humor é horrível.

Own! Diga xis!

Beleza um dia acaba, e o que vai sobrar? Um velho(a) chato(a) que só vive reclamando. Vai pensando nisso, você pode ser até modelo da Playboy, mais não pra sempre (sabe, até aquele vovô taradinho prefere as novinhas).

Seja falso, sínico, galinha... como você quiser. Só não esqueça que todos os pesos estão sendo colocados na sua própria balança.

O que você já não suporta mais?

quarta-feira, 31 de março de 2010

Sem poder dizer

Sinceramente eu to cansada de medir palavras comigo mesma... Estou cansada de ter que guardar certas coisas até de mim.

Essa semana está péssima. E não achei que não fosse dizer isso.
Quero correr e gritar bem alto. Alto o suficiente para QUE EU POSSA OUVIR. Porque eu acho que o problema mesmo deve ser eu.

Será que só comigo acontece isso? (estou tão mal).
Estou cansada! Esgotada.. e tudo o que você puder imaginar (TPM ?).

Segunda feira acordei muito mal, sempre ligo pra ele logo pela manhã, e ao final da noite nem consegui lembrar se tinha feito isso. Mas ao ligar pra ele a noite, vi o resto da semana desandar. Eu havia ligado para ele no final da tarde, ele estava tomando banho (eu só iria dizer que o amava e o quanto estava feliz ao seu lado, coisa besta de momento). Mudei de idéia, achei melhor não ligar mais. Normalmente quando eu tomo uma decisão destas de não ligar mais, eu sempre ligo (e faço as mesmas besteiras). Liguei a noite pra ele e ele não tinha ido pra escola, automaticamente eu lembrei do dia em que ele foi e eu fiquei em casa com dor de cabeça, eu avisei que não ia ligar. Confeço que fiquei magoada por perceber que ele só me ligaria se estivesse na escola e não tivesse nada para fazer, e na segunda-feira ele estava em casa e com certeza não estava se importando se eu fosse ligar. Últimamente, eu já não consigo falar mais nada. Logo que a gente ficou em silêncio, fiquei mais magoada ainda por ver que nem converssar ele devia estar querendo.

Me nego a continuar escrevendo sobre esta semana da mesma forma que eu estou tentando ligar menos para ele. Estou realmente muito preocupada com ele. Mais na verdade eu tenho que admitir (e admitir pra MIM MESMA), que não posso negar que percebi que sempre que eu pergunto o que ele tem e ele me responde nada, eu vejo que o nada dele é simplesmente nada mesmo. E estou ficando muito triste ao ver que as vezes ele age desta forma e fica tão frio comigo. Ele não deve nem ter percebido, mais esta semana ele não me disse um único "eu te amo". Queria tanto que ele pudesse entender quanta falta eu estou sentindo disto. Não vou mais perguntar a ele se ele me ama... Mais nunca vou deixar de perguntar a mim mesma se ele me ama. Às vezes choro em silêncio e fico pensando comigo mesma se ele não sente minha falta, se não faço uma misera diferença para ele. Como ele consegue às vezes me mostrar que é tão duro? Isso me magoa. Quando ele me diz "nada", automaticamente eu me incluo neste nada.

Hoje não tenho aula. Queria ligar pra ele e pedir pra gente se encontrar. Se eu não fizer isso acho que ele não fará. Talvez ele até saia com o irmão dele e nem se importe de ligar pra me perguntar o que eu queria quando liguei de manhã.
Tenho muito medo de o perder, mais quando ele fica assim tão distante, acabo perdendo a mim mesma.

E fico aqui sem poder dizer a mim mesma o que aconteceu...

Estou com tanta saudades!

sexta-feira, 26 de março de 2010

Dias ruins

Quantas vezes você acordou e disse "hoje não é o meu dia"?

- Você recebe o que você reflete!
Coisas negativas atraem coisas negativas (ultrapassada. Mas funciona!).

Hoje acordei e não soube explicar a mim mesma o que eu tinha. E fiquei confusa com isso. A vontade enloquecedora de ficar só comigo mesma berrava e quase exigia que eu não desse atenção pra mais nada e ninguém. Mesmo assim eu queria falar com ele. Eu precisava falar com ele. O celular dele chamou umas duas vezes e atendeu. Ele tinha dormido com o fone de ouvido no celular, e quando o antedimento automatico recebeu a ligação ele ainda estava dormindo (e eram os últimos centavos de crédito que eu tinha pra ligar pela manhã, só iria recarregar pela tarde).
Tudo bem... tudo bem... Começar assim já não foi bom.

Cheguei no serviço e fui direto a papelaria ver se tinha recarga para celular, não tinha. No almoço fui direto a uma banca de jornal, coloquei 11R$. O celular dele não chamou, ele não atendia (achei que fosse o sinal). Resolvi ligar na casa dele assim que voltei do almoço, meu cunhado atendeu. Perguntei se o celular dele não estava atendendo. Na verdade estava desligado.

Hoje é sexta feira e isso já deixou meu dia um pouco mais sem brilho (eu não disse que meu dia estava péssimo).

Não estou conseguindo pensar em nada, isso está acabando comigo. Essa súbita vontade de chorar aumenta a cada minuto. Hoje acordei insatisfeita. (Queria saber se há uma pilula mágica que não seja o seu carinho para curar a minha dor sem razão, pois no teu amor eu vicio e não posso comprar a hora que quero, nem tê-lo nas horas que preciso). Quero deitar em minha cama e ficar lá por um bom tempo, talvez mais do que um bom tempo.

Sexta-feira. E hoje no serviço ninguém está mais falando nada com nada.
E eu não estou pensando nada com nada.

quinta-feira, 25 de março de 2010

O que o seu coração te diz?

Sentimentos...

Estava pensando em sentimentos (todos eles e pode me chamar de maluca). Me diz o que você sente de mais forte agora, neste momento. O que você sente? A maioria das pessoas tem dificuldade de dizer isso por vários motivos.

Você já sentiu raiva? Medo, vergonha, insegurança, preguiça? Sim. não precisa mentir, esconder ou ocultar... (sentimentos são partes da sua humanidade). Estava pensando em sentimentos.
E nos vários que ocupam meu ser neste instante.

Já tive vontande de gritar e dizer quanta raiva já me deu por não ter ouvido o que eu gostaria. Já tive vontade de tacar uma panela na cabeça da minha mãe pra ver se ela parava de repetir tantas vezes o mesmo parágrafo do sermão diário que ela me dá sobre responsabilidade e conseqüência. Já me deu vontade de amarrar meu irmão de ponta cabeça e amordaçar ele, fora uns hematomas que não iriam ficar tão mal. Vontade de pegar aquela vaca ordinária que dizia ser sua amiga e ainda quís bancar a inoscente. Vontade de colocar uma placa bem grande de "MANTENHA DISTÂCIA DO MEU NAMORADO" para aquela amiguinha dele que não sai do seu orkut! (desculpa amor... mais eu odeio a foto dela nas visitações do meu orkut!). Vontade de mandar aquele chato pro inferno que insiste em te procurar no msn mesmo quando você coloca em "ausente" só para não falar com ele e ter que aturar a idiotices que ele fala sem magoa-lo. Vontade de esganar aquela mulherzinha chata que não tem o mínimo de educação no seu trabalho, e ainda ter que ser superior e manter a educação com ela, mesmo querendo bater o telefone na cara dela quando ela liga com aquela voz de nojo que é o fim! Aguentar a chata da professora de geográfia que fica enchendo o saco pra você tirar o fone do ouvido, a professora de biologia que fica mandando você tirar o pé da carteira, a de português que vive mandando você virar pra frente, e o resto da porcaria da escola que você vai ter que aturar até se formar no 3º colegial pra depois você ficar lembrando e sentindo falta dessa época que é um saco!


O coração é aquela coisinha vermelha que você desenha nas cartas, no final das folhas do caderno da escola na aula de história, que você culpa por ter feito a besteira de dar atenção a um idiota e ter perdido tempo com ele, o coração é quele que você culpa por ter feito algo por impulso...
- Mais o coração não guarda só amor. Segredos, mentiras, raiva, ódio também cabe na 'page' de um coração.



Todos os sentimentos que fervilham em você em dias que quase te deixam louca.



Hoje só o que ocupa meu pequeno desenhinho vermelho é o medo ao encontrar os olhos dele meio perdido em meio ao nada, e me deixa tentando imaginar com medo o que se passa em seus pensamentos... Também me surge outro sentimento... Um sentimento de satisfação que vem quase que instantaneamente.Minha fidelidade, minha lealdade, estão todas ao redor de um só homem, aquele que eu prometi que seria ele até o fim o único a ter direito de me tocar. E pode até ser dificil de acreditar, mais gosto de sentir o calor do corpo dele passando para o meu, completando e equilibrando todos os meus sentidos. Gosto de sentir nossos corpos juntos do mesmo jeito que quero a sinceridade entre a gente, sem nada além de nós dois. MEU AMANTE, NAMORADO, MELHOR AMIGO.

Ontem, minha amiga me perguntou se a gente ia fazer "alguma coisa" (nosso aniversário, coisas e tal, entende?) Bem, não dei resposta afirmativa. Estava muito animada na segunda-feira, e queria estar naquele animo todo, queria me livrar de todos os impulsos e desejos presos a tanto tempo, mas na manhã do nosso aniversário, não sei por que eu sabia que não era hoje que ia rolar, algo me dizia isso o tempo todo. Intuição? Não, não era isso. Talvez engraçado dizer mais estava acostumada a algo dar errado em todas as noites que eu desejava uma só coisa (e geralmente não prestava. Isso mesmo que você imaginou).

Eu confesso que nunca fui santa. Mas mesm assim eu não soube explicar como era meio difícil imaginar ele com outra garota, entregando-se a ela. Ciúmes? Não, não. Simplesmente eu queria que SÓ ELE me tocasse, e era meio difícil imaginar meu garoto com outra. Depois de ter passado a frustração de mais uma noite interrompida, eu senti rapidamente a vontade e o desejo passar. Complicado dizer mas senti vergonha de tudo o que a gente já fez (pode ter certeza que eu nunca fui dessas pessoas que se envergonham com as atitudes, mesmo não gostando de exposição, nunca liguei pra platéia). E na calmaria de meus sentimentos, eu me senti em paz deitada sobre ele, só meu corpo no dele.

É estranho dizer como estou completa e satisfeita com ele. Meu corpo se torce e implora para mim ceder e atender ao meus impulsos. Meu coração diz outra coisa. Pede para mim segurar tudo isso e esperar o dia em que finalmente nossos corpos se envolverão como um só. Minha consciência estranhamente apela por algo que não é do meu contexto: só depois do casamento! (pode rir você também. Mais eu não consigo rir, me dá vontade é de chorar com essa maldita voz que fica me dizendo esses absurdos nesses tempos, ela tá me confundindo com a minha vó!). Eu fico aqui lembrando das mãos dele sobre o meu corpo, da boca dele descendo sobre mim, lembro das minhas mãos apertando firme seus braços, arranhando suas costas... será que eu consigo? Qual destas três vozes eu resolvo seguir?

Cheguei a uma conclusão. Meu coração sempre esteve certo. Acho que ele não tem, idéia de como é importante pra mim saber o que ele pensa. Ter parado pra olhar em seus olhos e ter renovado nosso compromisso, foi muito mais satisfatório do que qualquer noite. Meu coração me disse que isso é o que importa, a única coisa que importa é sentir nas batidas desse outro coração que a gente consegue se satisfazer não apenas nas batidas aceleradas em nossos peitos e no suor pelo nossos corpos, mais desse simples jeito de amar, respeitando e aceitando o que o outro diz.

Não é o que o seu corpo diz, nem a sua consciência, reputação ou moral, mais sim seu coração.

O que ele te diz?

quarta-feira, 24 de março de 2010

Tempo

Hoje é quarta-feira e fugindo um pouco do velho custume a dorzinha de cabeça resolveu aparecer logo pela manhã (infeliz!). Engraçado mais hoje eu notei que ainda estamos no meio da semana ( e vi que a porcaria do tempo não quer passar). Ainda é quarta-feira meu Deus, tenho mais 16 horas de serviço até chegar no sábado pela manhã! A única coisa que compensa é saber que o nosso aniversário é hoje, e eu tenho mais uma desculpa pra matar aula ( o que tanto faz, porque as escolas ainda estão de greve - pelo menos a minha!).
O tempo é um mecanismo engraçado, passa tão rápido mais perante nossos olhos ainda duram uma eternidade. Até tão pouco eu era uma menina de dez anos que jurou que nunca iria se casar, ter filhos (eu tenho que confessar que casar ainda não é uma idéia tão familiar) etc... e hoje vários conceitos do que seria futuro mudou completamente.
Acho que no mínimo nos próximos dez anos da minha vida, tudo vai estar em constante mudança...

Quantas coisas mais mudarão? A única coisa a mudar será eu mesma. Talvez crescer ( a única adolescente que admiti isso - a não ser pra minha mãe!).

Vejo hoje tão fixo em minha mémoria como o tempo passa. Até o ano retrasado quando comecei a conversar com um amigo de Goiania, eu jurava que ele era o maior galinha! E esta semana conversando com ele no msn, a gente começou a lembra disso, eu só dava bola fora com namorado e ele pra mim era um galinha mesmo... (amigo promessa é divida: você me disse que quando eu precisasse você vinha correndo me ajudar, digo o mesmo, muito obrigada por ter a honra de ser madrinha de uma das ocasiões mais importantes da vida de uma pessoa, a união por Deus até a morte) hoje ele está noivo e ama a namorada (veja você: meu amigo que tal pra mim era galinha vai se casar e ainda tem 17 anos!). Uma das minhas melhores amigas (quase minha irmã) está com casamento marcado para o final do ano, e eu ainda lembro do aniversário dela de quinze anos! (flor, lembra do que eu disse? Quando a gente estiver bem velhinha ainda sentaremos juntas com nossos netinhos e vamos lembrar de tudo o que a gente fazia).

Fico lembrando de cada pessoa que passou pela minha vida, e lembrando da forma drástica que algumas infelizmente saíram (e outras que graças a Deus nunca mais voltarão!). Eu vim morar nesta cidade quando ainda tinha 11 anos. Foi dia 11 de janeiro de 2004, em um domingo ensolarado. Lembro de um instante ter olhado a estrada que se formava atrás de mim. E por um instante ter me despedido de tudo o que estava ficando para trás com ela. Em dois meses me arrependi amargamente de ter me despedido e fiquei o ano inteiro querendo voltar pra minha casa, pra minha cidade e para as pessoas que lá deixei (sem saber que nunca mais as encontraria). Foi difícil me acostumar, mais difícil ainda aceitar as mudanças.

A vida começou! Eu saí do meu pequeno mundinho isolado. Inoscente. Brinquei, chorei, sorri, sofri, amei, odiei, menti... E foi tudo tão intenso com todas as mudanças!

Ainda lembro da primeira vez que matei aula... e quantas vezes fiz isso (até hoje...) Primeiro namorado, primeira experiência (um dia eu conto!).

O tempo escreve as mudanças e você escolhe para que direção elas te levarão.

terça-feira, 23 de março de 2010

Declaraçãozinha instantanêa

E eu amo esse garoto!
Eu amo...
O jeito de como ele sorri. Até o jeito que ele me morde... Quando me pega no colo... E até quando me chama de chata e piolhenta (garoto chato eu te amo!)

E simplesmente não consigo negar o quanto eu o AMO.. e resolvi mostrar o que todo mundo já sabe: o quanto eu sou apaixonada por ele...

Deixo em aberto a minha declaração a todos os que por aqui passarem para saber que o tamanho do meu amor por ele não tem fronteiras... e nem limites...

AMOR EU TE AMO!!!

Um dia ainda vou pinchar a cidade para todo mundo ver que eu te amo!
(Se eu for presa a culpa é sua.. rsrs)

Por sua namorada!

segunda-feira, 22 de março de 2010

Para o meu namorado

♫ Baby love – Nicole scherzinger

E esta página escrevi em especial para o meu namorado. Aquele garoto pelo qual sou loucamente apaixonada, e pelo mesmo motivo percebi que ERREI ao deixar me levar por coisas sem razão. Já é madrugada e vejo o tempo lentamente se arrastando, e aqui sozinha, estou tentando entender por que às vezes as coisas fogem do controle bem debaixo de nossos olhos... Confundem-se e se misturam num único caos de sentimentos.

... e é por isso que estou aqui Amor! Pra dizer que não sei viver sem você ao meu lado... e que realmente “minha vida só fez sentido quando te conheci”...

Muitas vezes me perguntei em noites sozinhas de insegurança se você realmente me amava. E muitas vezes procurando a resposta, me machuquei sem saber que minha dúvida incessante também te machucava. E a resposta era tão simples! Era só olhar em nossos olhos pra ver e notar que tudo isso não foi em vão, que tudo isso não foi por acaso.

É meio estranho lembrar como o modo que te olhei pela primeira vez foi sincero e inocente. E lá estava ele, não foi preciso dizer uma única palavra. Simplesmente foi só olhar em seus olhos, e tudo aconteceu pra mim. Fico me perguntando agora, o que foi que você pensou a me ver? Sinceramente eu não sei.

Eu nunca te contei, mais não consigo descrever como eu fiquei encantada por aquele menino do sorriso terno e meigo do primeiro dia em que a gente conversou. E eu sei e nunca quis confessar mais me apaixonei por você e também é bobo admitir mais foi amor à primeira vista.

Na época que a gente começou a sair, eu mantinha um pequeno diário em meu computador, e por dias eu só conseguia escrever sobre aquele garoto. Ficava até tarde da noite tentando compreender por que depois de tanto tempo que eu não conseguia levar ninguém a sério, ele não saía da minha cabeça? Por que pra mim era tão importante saber o que ele pensava de mim?

E foi irresistível não ceder aos seus encantos e me entregar de corpo e alma a esta paixão. Arriscar mais uma vez entregar meu coração em uma bandeja de prata a alguém. E até hoje eu confesso que não entendo como você fez meu coração que estava frio há tanto tempo bater novamente num ritmo tão forte e intenso.

Eu te amo.

É tudo o que sei.

E tudo o que eu sei é que eu não consigo imaginar mais minha vida sem você aqui comigo. Não sei como seria se eu não pudesse mais ouvir sua voz ao telefone pela manhã morrendo de sono, louco para dormir e tendo que aturar a sua namorada que liga sempre às sete horas da manhã pra dizer simplesmente que te ama... Não sei como seria acordar mais um dia sem ter a esperança de te encontrar ao final da tarde sabendo que depois que o sol se pôr não haverá nenhuma outra luz mais intensa que a do teu sorriso.

Não sei lhe dizer o quanto odeio amar o jeito que você me morde e o pior é saber que você sabe que eu gosto de quando você faz isso.

Amor há coisas tão simples em viver ao seu lado que só são especiais por que acontecem contigo! E você não sabe quantas noites com medo eu pedi a Deus pra que não tirasse você da minha vida por que já não saberia viver mais assim.

Estou aqui amor porque hoje eu percebi que nada pra mim faz sentido sem você. Veja você tudo o que passamos. E me diga por que ainda estou em pé mesmo estando fraca e cansada? – TE AMO!

E essa é a única resposta que poderia lhe dar. Estou enfrentando tudo e todos por você! E só peço a Deus que me dê sempre mais um dia pra poder dizer que o amo muito e ver o teu sorriso surgir em seu rosto, e que no dia em que eu não poder ver mais isso, que eu também não possa ver nada, pois quando Deus decidir que já não lhe quer sobre a sua Terra então também me tomará o meu maior motivo para estar viva.

Há tanto o que se viver. E quero que tudo isso aconteça ao seu lado.

Quero te tomar pela mão e mostrar o caminho. Quero sentir quando que está mal, para poder te amparar em meu peito, quando está sozinho para te fazer companhia e te fazer dormir em meu colo, quando está fraco para poder te fazer levantar, quando está com medo para poder te proteger de tudo quanto for possível e também impossível.

Mas antes quero te pedir, por favor, que me perdoe. Com tantos medos e fantasmas que lutei e não percebi que estando ao meu lado te levei ao meu mundinho tão distante. Sozinha fiquei com tanto medo de coisas que não sei, e mesmo não sendo por mal não percebi se te acertei. E se te acertei, por favor, ME PERDOA! Perdoa-me por todas as vezes que falei alguma bobagem e nem percebi se te acertei, perdoa quando eu te falei algo e sabia que não era gentil te falar sem medir as agulhas em cada palavra.

Hoje vejo que esse foi o meu pior erro.

E meu pior castigo é conviver com essa culpa.

Amo muito o meu namorado e não mediria esforços por estar ao lado dele. O único homem que realmente me mostrou o que tem valor na vida. Amor esse meu pequeno mundinho não tem valor algum se você não estiver aqui quando a noite chegar e eu ver que é você que eu amo e sempre vou amar!

Sinceramente, essa garota imperfeita que te ama com perfeição!